As 6 melhores dicas para gerir sua obra!

Gerenciar e planejar uma obra, e ser produtivo como já abordamos aqui, pode se tornar o famoso “bixo de sete cabeças”.

Foi estimado que pelo menos 25% do tempo de um engenheiro ou de um gestor de obras é utilizado para solucionar problemas de última hora, os chamados imprevistos.

Tendo em vista que é um tempo valioso, a pergunta que se faz é: será que meu planejamento não poderia melhorar ainda mais, pra evitar estes conflitos?

No artigo de hoje iremos abordar 6 dicas para você que vê o tempo como prioridade e que gostaria de economizá-lo, trabalhando de forma mais eficiente.

Seja realista em relação à sua capacidade

O primeiro passo é saber seus limites como engenheiro, os limites dos serviços contratados e da mão de obra, sem falsas expectativas, e sem prometer algo que não é possível cumprir.

É o caso de prometer um prazo impossível para querer agradar um cliente. Quando seu prazo chegar e você não tiver o trabalho finalizado, isso pode acarretar até em problemas jurídicos.

Um software que a equipe Revit recomenda é o Microsoft Project, aonde você tem a possibilidade de gerenciar toda a equipe, descrevendo prazos com detalhes e mão de obra disponível.

Não sobrecarregue seus funcionários além do necessário, porquê além de gerar descontentamento, a qualidade do trabalho pode ficar comprometida.

Preveja os imprevistos

Com o passar do tempo, um engenheiro gestor adquire experiência neste quesito.

Alguns dos imprevistos numa obra são relacionados à materiais danificados, fornecedores atrasados.. por isso é sempre bom prever um tempo a mais para este tipo de eventualidade.

O ramo da construção civil, como qualquer outro, é um ramo passível de falhas, pois lidamos com seres humanos à todo tempo. Por isso, saber remanejar recursos e tempo é um conhecimento necessário para você como profissional.

Adquira conhecimento em como resolver problemas e conflitos

Um gerente ou um chefe deve ter como principal qualidade a inteligência comportamental. Ser autoritário e punir funcionários por eventuais erros não é, como sabemos, a melhor estratégia para a resolução de um problema.

Deve-se priorizar o diálogo e o trabalho em equipe, buscando desta forma um senso comum, e ao mesmo tempo aproximando o problema de toda a equipe.

Não tente buscar um culpado para um erro, lembre que o importante é a conclusão seu projeto, que é o único interesse de seu cliente.

Mantenha seu canteiro de obras conectado ao escritório

A troca de informações é a ferramenta mais importante na mão de um engenheiro, por isso faz-se necessária uma comunicação constante entre canteiro/escritório.

Não bastam ligações, e-mails, ou mensagens do seu smartphone. Faça uso de aplicativos direcionados para controle e comunicação em projetos e gestão.

É preciso utilizar a ferramenta correta para isso, que seja capaz de organizar informações, evitar ruídos e interpretações erradas e, acima de tudo, capaz de otimizar o relacionamento entre os responsáveis por atividades.
Como já mostramos aqui no blog, existem diversos aplicativos para a organização e comunicação, como o Construct App, Evernote e Todoist.

Controle o fluxo de caixa

O custo hoje, para qualquer negócio, é ponto chave do sucesso.

Possuir controle dos custos e receitas, gerenciar gastos e recursos é fundamental e imprescindível para alinhar a gestão da obra com o escritório.

Voltando à perspectiva de que qualquer atraso ou alteração de prazo acarretará alteração nos lucros e dividendos, é sempre bom o investimento em softwares especializados para isso.

Estes programas, partindo de acompanhamentos de desembolsos diários, semanais e mensais, geram curvas que mostram a tendência de gastos e fluxo de caixa.

Espaços do canteiro de obras

Um espaço bem organizado no canteiro de obras economiza e muito tempo e recursos.

Vamos listar aqui os principais espaços que um canteiro de obras pode ter para que seu desempenho seja o mais eficiente possível.

• Tapume: Destinado ao fechamento do canteiro de obras, de modo a impedir a entrada de pessoas não autorizadas, bem como a saída indevida de materiais e equipamentos da obra. Comumente, costuma ser feito com uma parede ou cerca de madeira.

• Casa de vigia: é o local de trabalho do empregado responsável pela vigilância da obra. Pode ser construída uma guarita simples.

• Almoxarifado: é o espaço destinado para o armazenamento do material, o controle e a distribuição para a obra.
Normalmente, é construído um barracão no qual guardados os materiais que não devam ficar expostos como, por exemplo, cimento, gesso, condutores elétricos, ferragens, tintas, portas, janelas, grades, entre outros.

• Sanitário: destinado ao uso do pessoal que trabalha no canteiro, inclusive para banho. Pode ser feita uma construção provisória própria ou integrar parte do almoxarifado, ou do escritório.
• Alojamento e refeitório: são espaços de vivência nos quais os trabalhadores repousam, fazem as refeições e interagem. A estrutura de cada área é regulada pela NR-18.

• Escritório: empreendimentos de grande porte podem requerer um verdadeiro escritório de obras que permita à equipe executar os serviços administrativos e de controle técnico. O espaço é ideal para manter plantas e diário de obras, fazer o controle de ponto do pessoal, bem como ter uma estrutura com telefone instalado e ponto de acesso à Internet.

• Depósito de areia: destinado à armazenagem de areia para construção. É um local aberto destinado à concentração dos agregados miúdos usados para o concreto, argamassas para alvenaria ou revestimento. De preferência, deve ser próximo das centrais de preparo de concreto ou argamassas.

• Depósito de britas: é um local ao tempo onde a pedra britada deve ser reunida, por isso, deve ficar próximo da central de preparo de concreto e do depósito de agregado graúdo destinado ao concreto.

• Central de preparo do concreto: este espaço pode ser uma instalação complexa em obras de maior porte ou apenas uma betoneira destinada à mistura dos ingredientes do concreto.

• Depósito de ferro: é o local, ao tempo, usado para a guarda dos ferros destinados à armação do concreto. De preferência, deve ter cobertura e ficar próximo da área de dobragem de ferros.

• Central de corte e dobragem de ferro: é a área destinada à produção de armações. Na disposição dos espaços, tente deixá-la próxima ao depósito de ferro.

• Depósito de madeira: espaço (tipo barracão) destinado ao armazenamento e abrigo do madeiramento. O depósito pode também ficar dentro do próprio almoxarifado.

• Carpintaria: neste espaço são produzidas as formas de concreto, madeiramento da cobertura, entre outros, de modo que o principal equipamento usado é a serra circular.

Deixe seu comentário aqui embaixo sobre quais ferramentas você considera mais importante para um bom desenvolvimento de uma obra!

Comentários

Comentários