Perspectivas para a Construção Civil em 2019

Sabemos que a construção civil tem passado por momentos de altos e baixos. Isso deve-se a crise econômica que persiste no mercado brasileiro, tanto que as perspectivas para o ano vigente têm como base o resultado do ano anterior.

Este ano a perspectiva foi de alta de 2%.

A estimativa levou em consideração ainda a instabilidade política e do ano eleitoral, dois fatores que têm forte influência sobre os resultados.

Para podermos superar esses altos e baixos, é bom entender e estar sempre atento às possíveis mudanças que podem ocorrer ao longo do ano.

Pensando nisso, o Sebrae criou um estudo chamado Cenários Prospectivos: o setor de construção no Brasil de 2016 a 2019, que pode ser muito útil aos profissionais do ramo que desejam manter-se informados, permitindo traçar estratégias e, até mesmo, realizar um planejamento mais assertivo sobre o setor.

Alguns fatores que impactam o setor

A partir de estudos realizados ao longo dos anos, foram elencados três panoramas possíveis que influenciaram no setor no ano de 2018:

• Expectativa política, com grande potencial à estabilidade econômica;
• A sintonia necessária entre a política e a economia, possibilitando um crescimento ao setor, e
• Recessão econômica em meio a uma instabilidade política.

Para cada um desses cenários, existem pontos de atenção que devem ser levados em conta, como as tendências de mercado, novas tecnologias que influenciam o setor, estratégias e preocupação com a sustentabilidade, atualização de normas e regulamentações aplicáveis ao setor de construção civil, por exemplo.

Principais expectativas para a Construção Civil em 2019

A expectativa para os resultados de 2019 é de um pequeno aumento, que gire em torno de 2%, mas que representa uma forte recuperação do mercado.

Antigamente, a construção civil correspondia à 10,5% do PIB brasileiro. Hoje, entretanto, este valor gira em torno de 6%.

Apesar de as previsões indicarem uma recuperação de 2% para o próximo ano, existem três fatores principais dos quais essa definição depende. São eles:

• O investimento realizado em infraestrutura, principalmente em projetos e parcerias público-privadas;
• O restabelecimento do crédito, com a redução de impedimentos aos financiamentos, e
• A melhoria no ambiente de negócios, com objetivos relacionados à segurança jurídica e desburocratização.

Cabe ao engenheiro civil ficar antenado à estes fatores e se adaptar ao mercado, buscando sempre se atualizar e estar preparado para novos desafios.

Como manter um trabalho acima do padrão de mercado?

Depois de atender mais de 4 mil projetistas no último ano, descobrimos o que faz com que a maioria deles percam espaço de mercado:

Falta de processos e ferramentas de automação.

Isso torna o processo de criação mais lento e com qualidade inferior aos projetistas que aderem a esse novo método de trabalho. E o mercado é de quem consegue entregar projetos de alto nível em um curto período de tempo.

Para resolver esse problema, criamos uma ferramenta poderosa para ajudar projetistas como você a nunca mais atrasar projetos. Basta clicar no botão abaixo para descobrir o segredo dos maiores projetistas:

QUERO CRIAR PROJETOS NA METADE DO TEMPO

 

Comentários

Comentários